Igreja e Política: Alianças Perigosas

Igreja na política é um assunto muito polêmico, muitos acham que não se deve misturar politica com igreja e existem aqueles que defendem esta relação por causa da liberdade de expressão e religiosa.

Não se pode negar o fato de que é muito importante nós participarmos da política de nosso país, há um ditado que diz que “quem não gosta de política é governado por quem gosta”. O pensamento de que “política é do diabo” é uma tolice que o povo de Deus já deixou pra trás.

Centenas de projetos de leis foram criados para barrar o crescimento das igrejas evangélicas e a liberdade religiosa, e graças aos cristãos que estão nas câmaras municipais, congresso e senado federal, estas leis não passaram e muita gente não sabe disso!

O envolvimento das igrejas evangélicas com a politica deveria ser saudável para a moralização da politica, no entanto houve um verdadeiro desequilíbrio, porque ao invés da igreja evangélica influenciar a política com os princípios cristãos, parece que algumas igrejas têm sido influenciadas pelo poder da corrupção na política. 

A ganância pelo dinheiro e pelo poder, tem feito muitos lideres evangélicos fazerem alianças inescrupulosas  com partidos políticos que tem ideologias totalmente contrarias aos princípios cristãos.

Por exemplo: Uma igreja evangélica que faz aliança com partidos que contém em sua ideologia a legalização do aborto, legalização das drogas, o casamento gay, a erotização das crianças por meio da ideologia de gênero e kit gay, está não apenas mostrando que não respeita aos princípios bíblicos, mas também mostrando que se importa tão somente em tirar vantagens sem pudor.

“Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?” 2 Coríntios 6:14

IGREJA NÃO É PALANQUE

Estas igrejas evangélicas que estão se tornando seitas tem como característica não respeitar as leis, pois transformam seus púlpitos em comícios políticos na época eleitoral, deixam de pregar o evangelho para fazer campanha política para seus candidatos, mesmo sendo contra lei.

Estas igrejas transformam seus pastores e diáconos ou obreiros em cabos eleitorais, e ai deles se não falarem de política na igreja, ai deles se não pedirem votos para o candidato da igreja.

Mesmo contra lei, as lideranças destas igrejas seitas organizam com seus pastores e obreiros “boca de urna”, escondem material de campanha política na igreja ou na casa de membros. Vale tudo desde que o candidato da igreja vença a eleição. Quem já participou destas igrejas sabe do que estou falando!

Mesmo quando a lei aperta a fiscalização, eles conseguem burlar de algum jeito e fazem a campanha política acontecer dentro da igreja, nem que tenham que distorcer a bíblia para isso, nem que tenham que ameaçar os pastores para isso, nem que tenham que usar histórias bíblicas distorcidas para pressionar psicologicamente os membros da igreja para isso, mas é feito.

Quando já fiz parte como pastor de certa igreja, quantas vezes fui obrigado a falar de política no altar? Inúmeras vezes… E muitos destes candidatos políticos fazem parte de projetos megalomaníacos de poder que seus lideres traçaram para a sua igreja e seu império. Claro que não posso generalizar, porem conheço muito bem o projeto de poder político de certas igrejas seitas.

A igreja é uma instituição sem fins lucrativos e para isso é isenta de impostos, a utilização dos templos das igrejas que são mantidos com doações é para fins religiosos e quando há desvio desta finalidade se cometem vários crimes.

Se os lideres e pastores querem falar de políticas deveriam utilizar outros meios que não seja os mantidos pelas doações. Usem as redes sociais por exemplo. Porém, parece que é mais fácil burlar as leis e usar o poder do dinheiro dos dízimos e ofertas para este fim.

Aliás, como para eles “pra Jesus vale até gol de mão”, não é nenhuma surpresa encontrar vários candidatos apoiados por estas igrejas seitas metidos em esquemas de corrupçãoE não somente políticos apoiados pela igreja, mas também pastores e bispos destas igrejas seitas que se tornaram políticos.

Eu mesmo conheci um bispo pessoalmente que falava tanto de moral e ética nas reuniões de pastores e anos mais tarde, foi preso e condenado por fazer parte do esquema de corrupção que ficou conhecido como o mensalão.

Poderia citar vários casos, mas mencionarei somente mais um: Pesquise sobre o escândalo das sanguessugas ou máfia das ambulâncias que ocorreu em 2006 e confira os envolvidos e os condenados em 2014, e tire suas próprias conclusões.

É verdade que a igreja precisa de conscientização politica, mas isso não significa ocupar o espaço que deveria ser da adoração e pregação do evangelho com campanha politica. Pedir votos ao seu candidato na igreja é fazer campanha politica e isso é crime.  A conscientização politica é quando a igreja a luz da Bíblia orienta seus fiéis para que estes possam analisar as propostas e ideologias dos partidos políticos ou dos candidatos, dando aos cristãos uma boa dose de discernimento para que os mesmos consigam através de uma ótica cristã, escolher melhor seus candidatos. 

Não sei de nada

Quando acontece de algum politico apoiado pela igreja se envolver em escândalo, a direção da igreja seita trata logo de afastar o tal político de qualquer cargo para se isentar de suas atitudes. No entanto a verdade é que todo esquema que é feito por estes políticos destas igrejas seitas é do conhecimento da liderança, mas os mesmos sabem que se a “casa cair” a igreja sempre vai dizer que “não sabe de nada”.

Creio que essa expressão você já deve ter ouvido muito falar: “Não sei de nada”.

O acordo é o seguinte: eles ficam calados, não incriminam a instituição e um dia quando a poeira assentar, eles são de alguma forma reintegrados a igreja, se não for no Brasil será em outro país. A liderança da igreja dá uma garantia de sustento a eles ou a família em troca do silêncio, simplesmente como acontece em qualquer organização criminosa: o silencio vale ouro.

Mas como em todas as coisas, não podemos generalizar, quero deixar bem claro que pelo exposto até agora não estou afirmando que todo político evangélico seja corrupto, e nem que toda igreja evangélica que tem seus representantes na política esteja envolvida em esquemas de corrupção, nem tudo é farinha do mesmo saco, mas pelo histórico de algumas igrejas já envolvidas na politica se percebe muito bem o que é joio e o trigo.

Estou apenas expondo o que acontece em algumas igrejas que se corromperam e se tornaram seitas perigosas, porque já tive minhas experiencias, não estou falando do que me contaram mas do que ja vivi e presenciei, para maiores detalhes leia o meu livro. Cabe a cada um pesquisar e julgar por si mesmos os indivíduos sem generalizar.

Não podemos ser ingênuos e votar em candidatos pelo simples fato de serem evangélicos e falarem manso. Infelizmente existem muitos políticos evangélicos que são corruptos não porque se corromperam na política, mas porque já eram corruptos antes mesmos de entrar, mas como está escrito “não há nada em oculto que não seja revelado”, a casa vai cair mais cedo ou mais tarde para estes lobos em vestes de cordeiro.

Existe certo político evangélico que tenta até mesmo se desvincular na mídia da sua própria igreja, alegando não concordar com varias doutrinas de seu líder… isso é apenas uma jogada para ganhar aqueles que não gostam da sua igreja, no entanto ele é tão obediente a sua liderança como qualquer outro pastor, pois mentir para eles é fácil.

SEPARAÇÃO DO ESTADO E IGREJA: Herança Protestante

Durante a historia da civilização humana houve vários governos que uniram o estado a religião, porém a mais conhecida união do estado e a religião foi no império Romano quando o imperador Teodósio decretou em 380 d.C o Édito de Tessalônica, estabelecendo o Cristianismo como religião oficial do Império, a partir de então a união entre a Igreja e Estado passou a ser indiscutível.  E como o Império Romano dominava a maior parte do mundo civilizado, praticamente a Igreja interferia em tudo.

Mas ao fim da Idade Média, os abusos da Igreja Católica Apostólica Romana, braço religioso do Império Romano, com suas vendas de indulgencias e outras heresias, deflagraram a Reforma Protestante em 1517, na Alemanha. Foi a partir da Reforma que os conceitos de liberdade, de tolerância religiosa, de democracia e de separação entre Igreja e Estado foram alcançados ao status de direitos fundamentais. Podemos então afirmar que a separação do Estado e Igreja é uma herança da Reforma Protestante.

A palavra de Deus mostra que a ideia de união de Estado e Igreja não dará bons resultados. Por isso o Estado não deve interferir na Igreja e nem a Igreja no Estado. Todavia o povo de Deus jamais deve faltar com sua voz profética diante das injustiças e pecados sociais (Atos 4.1-7)

Pastor ou Bispo Licenciado?

Outra coisa inaceitável e totalmente contrária a Bíblia é esta historia de pastor ou bispo licenciado, um titulo que inventaram para tentar dizer que tal sacerdote está de licença de seu cargo na igreja para assumir um cargo político.

Desde quando um homem de Deus, um pastor ou bispo tira licença? Ou ele é ou não é, ou ele é ou deixa de ser, onde está escrito isso na Bíblia? Em lugar algum. É mais uma doutrina inventada por homens (heresia) para poderem fazer suas alianças inescrupulosas e caso dê algo errado, consigam isentar a sua igreja seita.

Sempre pensam em primeiro lugar na instituição, nem que tenham que distorcer a palavra de Deus para isso.

Esta é apenas uma característica de uma Igreja evangélica que se torna seita perigosa, para todas as características e heresias praticadas por estas igrejas compre o meu livro ou baixe grátis na versão PDF clique aqui. 

Não sou contra os evangélicos se envolverem na politica, porque se os evangélicos não podem entrar na politica então nenhum outro religioso poderia também, e o direito tem que ser igual para todos, no entanto sou contra a maneira em que muitas “igrejas” tem se conduzido trazendo muito mais escândalos do que testemunho em nosso meio.

Fonte: Livro Igrejas Evangélicas que se Tornam Seitas Perigosas

SUGESTÃO DE LEITURA:

> Leia o artigo Como é o sistema podre da Igreja da Prosperidade

> Leia o artigo Doutrina ou Heresia do Toma lá dá Cá?

 

Pastor Flávio Gabriel

Tem 46 anos, casado, com ministério pastoral há 25 anos, Bacharel em Teologia, Pastor na Igreja Evangélica Vida com Vida em Nilópolis, RJ, Brasil, é Professor da EBD e de Teologia, fundador e Professor do Seminário de Escatologia Bereiano e autor dos Livros: Igrejas Evangélicas que se Tornam Seitas Perigosas, OVNIS ETS E A BÍBLIA e Como Não Amar Esta Mulher?

Visit Us On Youtube