Batismo nas águas: é opcional ou um mandamento?

O batismo nas águas significa morte e ressurreição, é também identificado nas Escrituras como o batismo de João, por ter sido ele o primeiro a ensinar e realizar o batismo nas águas por imersão (Mar.1.4; 11.30; Atos 19.3)

É o primeiro passo de fé em Jesus depois do novo nascimento. Sem o novo nascimento, ninguém poderá ver o reino de Deus, receber a vida eterna e a salvação mediante Jesus Cristo.

“Jesus respondeu e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus.”  João 3.3

O novo nascimento tem lugar naquele que se arrepende dos seus pecados, volta-se para Deus (Mt 3.2) e coloca a sua fé pessoal em Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador.

Essa regeneração envolve a mudança da velha vida de pecado em uma nova vida de obediência a Jesus Cristo (2Co 5.17; Ef 4.23,24; Cl 3.10). Aquele que realmente nasceu de novo será liberto da escravidão do pecado (ver 8.36 nota; Rm 6.14-23), e passa a ter desejo e disposição espiritual de obedecer a Deus e de seguir a direção do Espírito (Rm 8.13,14).

Procura viver uma vida de retidão (1Jo 2.29), amar aos demais crentes (1Jo 4.7), evitar uma vida de pecado (1Jo 3.9; 5.18) e não amar o mundo ( 1Jo 2.15,16).

O BATISMO É OPCIONAL OU UM MANDAMENTO?

O batismo nas águas não é apenas um símbolo,  é um mandamento do Senhor para todos aqueles que creem no seu nome e não é opcional como diz em Marcos 16:16, tanto que o próprio Senhor Jesus se batizou para dar o exemplo (Mateus 3:13).

“Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.” Marcos 16:16

O batismo nas águas é também chamado na Bíblia de “batismo de arrependimento” (Marcos 1:4;  Atos 13:24;19:4), ele tem a função de dividir a vida do crente em antes e depois. Jesus disse que “quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer já está condenado”, por tanto o batismo além de um mandamento do Senhor é uma prova de fé em Jesus como Senhor e Salvador, se você crer você se batiza se não se batiza é porque não crê.

QUEM NÃO SE BATIZA NÃO TEM SALVAÇÃO?

Como dito anteriormente o batismo é um mandamento, quem tem condições de fazê-lo e não o faz está desobedecendo deliberadamente a Jesus Cristo e não tem desculpa.

Mas há o caso de pessoas que aceitam a Jesus como Senhor e Salvador e não tem condições de batizar-se, pois se encontram impossibilitadas de alguma forma, por uma doença, ou por não haver mais tempo, como é caso de pessoas que aceitam a Cristo poucos minutos antes da morte, como foi com o ladrão ao lado direito de Jesus. A estes nestas situações se constituiem uma excessão uma vez que Deus é justo.

O batismo em si não salva, quem salva é Cristo, mas quem é salvo se batiza porque o batismo além de ser uma amostra publica de confissão de fé em Jesus ele é também é o cumprimento de uma mandamento do Senhor.

“Aquele que tem os meus mandamentos e obedece a eles, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado por meu Pai, e Eu também o amarei e me revelarei a ele.” João 14.21

BATISMO DE CRIANÇAS

O batismo nas águas é para remissão de pecados, sendo assim, somente pode se batizar nas águas aqueles que se arrependem dos seus pecados, uma criança não tem consciência e nem entendimento do pecado, arrependimento e nem do batismo, como pode ela então fazer algo se sabe o real significado?

Por isso nas igrejas evangélicas não se batiza crianças porque tal ato está em desacordo com a Biblia, mas se realiza a sua apresentação a Deus de acordo com a bíblia (Atos 2:38).

No entanto, podem existir exceções como crianças de uma certa idade que tenham maturidade suficiente para discernir e entender sobre pecado e arrependimento, nesse caso cabe aos pais e ao pastor da igreja orientar e discernir se a criança se enquadra ou não. O candidato ao batismo tem que saber o real significado do mesmo.

Clique aqui e conheça 

CONCLUSÃO

O batismo é uma decisão tomada pela fé em Jesus. É uma demonstração publica em submissão a Ele (Romanos 6:4; Colossenses 2:12; 1 Pedro 3:21). É a confirmação publica de uma entrega total, uma aliança eterna com Deus através do seu Filho Jesus Cristo (Atos 16:33).

Esta atitude é única e definitiva, não sendo necessário um novo batismo, ainda que o crente caia em pecados, um segundo batismo não mudaria nada, mas sim um verdadeiro arrependimento (Efésios 4:5). Se todas as vezes que pecamos tivessemos que nos batizar, deveríamos nos batizar todos os dias, assim como Jesus morreu uma vez só por todos nossos pecados, assim o batismo é uma vez só como diz as Escrituras citadas acima nas palavras do apostolo Paulo.

Ao examinar o livro de Atos, vemos que o batismo era realizado logo após a conversão da pessoa. Isto era natural, porque Jesus ordenara como um dos ritos distintos da Sua Igreja. O batismo em água é um ato de obediência à ordem de Cristo para que fôssemos batizados, bem como uma declaração do intuito de sermos seus discípulos (Mat 28.19; João 15.14).

Filipe ensinou o Evangelho de Cristo ao eunuco etíope e, não se esqueceu e nem menosprezou o batismo em água, ensinou a sua importância e o seu valor, de maneira que o eunuco sentiu a sua necessidade e “creu” no batismo, de modo que na primeira água que encontraram, ele não resistiu, quis batizar-se e foi batizado por Filipe (Atos 8.36,38).

Afirmar que existem muitos que se batizaram e possuem uma vida pior que muitos mundanos não é justificativa para não se batizar, Jesus disse que os escândalos seriam inevitáveis, mas ai por quem vier os escândalos, dizer ser um seguidor de Jesus Cristo como um cidadão do Reino de Deus e negar o batismo nas águas é o mesmo que dizer que é um cidadão brasileiro, mas sem identidade, certidão de nascimento e sem ao menos ter nascido no Brasil.

Não podemos desprezar o batismo em água a ponto de considerá-lo insignificante, se foi de máxima importância para a Igreja de Cristo, no primeiro século, e o próprio Jesus não desprezou o batismo de João, que considerou como cumprimento de toda a justiça, e como faríamos nós? 

As igrejas que negam o batismo nas águas ou o aboliram são consideradas seitas porque não estão de acordo com o evangelho de Jesus Cristo, pois não estão fundamentadas em Seu evangelho, mas em revelações e doutrinas humanas, uma vez que ninguém tem autoridade para mudar o que Deus já determinou em Sua palavra.

Pastor Flávio Gabriel

Tem 46 anos, casado, com ministério pastoral há 25 anos, Bacharel em Teologia, Pastor na Igreja Evangélica Vida com Vida em Nilópolis, RJ, Brasil, é Professor da EBD e de Teologia, fundador e Professor do Seminário de Escatologia Bereiano e autor dos Livros: Igrejas Evangélicas que se Tornam Seitas Perigosas, OVNIS ETS E A BÍBLIA e Como Não Amar Esta Mulher?

Visit Us On Youtube